Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Blog da Dy

Sou uma apaixonada pela vida, pela escrita, pela comunicação, pela educação!! Apaixonada por tudo o que me faz sentir viva e feliz! Apaixonada por ti! Neste blogue quero partilhar experiências, desejos, vontades...

Sou uma apaixonada pela vida, pela escrita, pela comunicação, pela educação!! Apaixonada por tudo o que me faz sentir viva e feliz! Apaixonada por ti! Neste blogue quero partilhar experiências, desejos, vontades...

Blog da Dy

22
Mar17

Peixes enlatados e a saúde!

Dy

Numa altura em que se fala, constantemente, em estilos de vida saudáveis, exercício físico e cuidados com o corpo, como se de uma moda se tratasse, é importante refletir acerca dos alimentos, mais concretamente, do tipo de peixe que estamos a ingerir.

A captura do atum e a sardinha remonta aos nossos antepassados. Mais concretamente durante o século XIX. Num país costeiro, como o nosso desde cedo se começou a capturar atum e sardinha e a conservá-los em sal, de modo a que este pudesse ser consumido em invernos rigorosos quando o alimento escasseava.

Hoje em dia, este tipo de peixe conservado em sal e enlatado como a sardinha e o atum são  uma alternativa, muitas vezes, utilizada quando queremos uma refeição prática, rápida e, pensamos nós, saudável. A questão começa com o tipo de atum que escolhemos, sendo que o conservado em óleo tem mais gordura e consequentemente, menos saudável.Há como alternativa o atum em azeite ou ainda (o mais procurado pelo índice calórico reduzido) em água. O problema, com o qual me deparo quando como o atum em água é o facto deste ser conservado em sal, o que aumenta a retenção de líquidos e faz-me inchar. Não sei se sentem o mesmo.

Ao encontro das minhas dúvidas encontrei um artigo no "Diário de uma dietista" que explica tudo o que devemos saber acerca deste tipo de alimentos.Com questões pertinentes:

O que têm de bom para a saúde?

O atum e a sardinha, as principais conservas, são de uma enorme riqueza nutricional. Neles se destaca:

  • O seu teor em ómega-3: gordura essencialpolinsaturada
    • Protege o coração, pois diminui o mau colesterol LDL e aumenta o bom HDL
    • Reduz o risco de doença cardiovascular pelo decréscimo dos triglicéridos, da agregação plaquetária e da pressão arterial;
    • Reduz do risco de formação de coágulos e de acidentes vasculares cerebrais (AVC);
    • Protege contra certos tipos de cancro como o cancro da mama, cólon e próstata;
    • Tem efeito terapêutico em doenças auto-imunes incluindo lúpus, artrite e  doenças renais;
    • Estimula o desenvolvimento do cérebro, da concentração e capacidade cognitiva em crianças;
    • Contribui para o  desenvolvimento adequado da retina e para uma visão saudável;
    • Tem um feito terapêutico sobre a depressão;
    • Reduz os sintomas de doenças inflamatórias associadas à pele como acne e psoríase.
  • Contém proteínas de alto valor biológico, essenciais na formação da estrutura celular, de hormonas e do metabolismo no geral.
  • Vitaminas A,D e complexoB3,B6 eB12:
    • Indispensáveis para a formação do sangue;
    • Asseguram a manutenção do sistema nervoso;
    • Essenciais à pele e à visão.
  • Sais minerais (cálcio, ferro, fósforo, zinco e magnésio)
    • Essenciais para a saúde óssea e muscular;
    • Previnem a anemia;
    • Promovem o equilíbrio hormonal, da testosterona e das hormonas da paratiróide.

    As conservas são todas iguais?

   Não. Existem vários líquidos de conserva, são exemplos, em água e sal, em azeite, em óleo vegetal, em tomate picante, em caldeira, em alho, em escabeche, etc. 

Comparação:

As sardinhas e o atum em azeite ou em óleo têm um valor calórico mais elevado, devido ao seu teor de gordura, das quais se destacam as polinsaturadas ómega-3. Também a sardinha em tomate simples e picante contém adição de óleo.
Note-se que estas informações nutricionais não são representativas do mercado, pois detetou-se muita variabilidade entre marcas, dependendo da proporção entre peixe e líquido de conserva. Também os valores de sal adicionado são muito variáveis de marca para marca.

RECOMENDAÇÃO: Opte por atum ao natural, escorrendo o líquido, se pretender retirar algum sal então passe por água e tempere ao natural com o seu azeite, limão, vinagre de frutos, ervas, etc.
Caso não tenha disponível a conserva ao natural, escorra bem o líquido das restantes opções.

Dicas a conservar na loja e em casa

  • Na loja, e antes de abrir, certifique-se de que a lata de atum não está abaulada, amolgada, furada ou com manchas estranhas.
  • Não compre produtos expostos ao sol ou em locais húmidos.
  • Após abrir, certifique-se de que o atum tem o aspeto, cheiro e sabor caraterísticos.
  • Se não consumir todo o conteúdo, coloque o resto no frigorífico em recipiente fechado, até 1 dia. Ao abrir a lata, o alimento deixa de ser uma conserva.
  • Guarde as embalagens em local fresco e seco. A humidade pode corroer a embalagem e o calor altera as características gustativas.

Artigo completo em : http://diariodeumadietista.com/tudo-o-que-deve-saber-sobre-conservas-de-peixe/

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D